Boca

PUBLISHED ON APR 16, 16047

Palavra de ordem para o obeso: “Feche a boca!” O médico endocrinologista Dr. Alfredo Halpern diz, com propriedade, que para emagrecer é preciso aprender a manter a boca aberta. É na boca que começam os problemas, já que é nela que se inicia o processo da digestão. Ela é a abertura para a entrada dos alimentos, para o mundo das delícias ou para tudo que parece proibido para quem está acima do peso.

Como emagrecer sem fechar a boca? Usá-la a nosso favor, permitindo que ela nos ajude a fazer boas escolhas, nos mantendo saudável, sem usá-la ininterruptamente, como boca nervosa. É assim que chamam boca de gordo. Boca nervosa porque não pode parar de comer aquilo que não deve, dizem as más línguas… O obeso está fadado a ter que reaprender a usar a boca em seu benefício, com calma e sem voracidade.

Quase tudo relacionado ao ato de levar alguma coisa à boca pressupõe prazer: cigarro, droga, comida, sexo. Prazer este que nem sempre é gratuito, cobra juros e correção monetária. É comum o ser humano substituir um vício pelo outro. Fumar pode representar uma grande satisfação, assim como tantas outras drogas. Porém, fazem muito mal. Ao parar de fumar ou abandonar qualquer outro vício, a falta de uma “bengala”, faz com que a grande maioria acabe comendo e engordando.

Quando a pessoa não pode desfrutar de uma amamentação suficientemente boa na primeira infância, se não teve essas necessidades primitivas saciadas, possivelmente desenvolverá péssimos hábitos alimentares ao longo da vida. O mesmo se aplica quando da perda de um grande amor, que também está intimamente ligado aos prazeres orais, cuja ansiedade corrosiva pode encontrar saída na geladeira. A este comportamento também damos o nome de “padrão alimentar de roedor”, pois precisa estar sempre mastigando alguma coisa, de preferência muito depressa. Trata-se de um padrão rápido que impede uma boa mastigação e o melhor aproveitamento do gosto dos quitutes.